Crônicas

Entre os 12 milhões de desempregados

Por Mellanie Anversa.

Lá estava eu, em pé, em uma fila gigantesca só para entrar no banco. ‘É dia de pagamento?’, pensei. Não era. A fila só aumentava e as pessoas, à frente e atrás de mim, já não aguentavam mais segurar a insatisfação pela demora.

Cada um, assim como eu, tinha uma pasta com documentos para mostrar o motivo de estarem lá. A atendente, com muita simpatia, conferia um por um a tal da chave de segurança no meio da papelada.

“O que você tanto procura, moça?”, perguntou um homem de meia idade acompanhado de toda a família. “Um código”, ela disse, de maneira simpática. Ele bufou. Com a fila aumentando a cada minuto, pessoas desistiam de esperar antes mesmo de conseguirem passar pela porta giratória. “Eu volto outro dia”, disse uma moça conversando ao telefone.

Nosso motivo, no entanto, não podia esperar. Toda a documentação que a maioria de nós carregava, servia para a retirada do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, o FGTS. ‘Tudo isso de gente foi mandada embora agora?’, pensei.

Segundo os dados do último trimestre de 2019, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há uma taxa de 11,8% de brasileiros desempregados. Isso significa que 12,5 milhões de pessoas estão sem nenhum tipo de ocupação. Segundo os números, esse cenário é positivo se comparado ao trimestre anterior, onde marcava uma taxa de 12%, 12,7 milhões.

No entanto, apesar da baixa na porcentagem, o número continua alto. Isso, para mim, significa desespero. Em pleno final de ano, cinco entre as dez pessoas que esperavam naquela fila estavam retirando o FGTS por terem sido mandadas embora. Entre os mais diversos motivos, o que mais se repetia era a falta de recursos das empresas.

Após passar pela porta giratória e liberar o valor, vi a desesperança no ar quando o moço ao meu lado aceitou abrir uma conta poupança. Ele tentava, ao menos, fazer o valor – que era seu por direito – render o mínimo possível na conta.

Já eu, nem escutei a proposta do atendente. Talvez por estar incrédula demais com todo esse sistema caótico em que vivemos atualmente.

*Ilustração de Antônio Henrique.

1 comentário em “Entre os 12 milhões de desempregados

  1. Pingback: SE TODO DIA FOSSE NATAL – Os Cronistas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: